30 de novembro de 2012

Porque vale a pena contratar o seguro viagem.


Além de diminuir as chances de acontecerem imprevistos desagradáveis, os seguros chegam a ser obrigatórios para entrar em alguns países.


Ninguém quer passar por problemas enquanto está viajando. Mas uma gripe, uma mala perdida, um dente quebrado ou um problema familiar no Brasil sempre podem acontecer. Apesar de torcermos para que tudo ocorra bem, melhor estar prevenido para o contrário. Aí que entram os seguros de viagem. Seguem algumas informações importantes sobre esse tipo de seguro, que é focado nos turistas.

Durante a viagem
O seguro de viagem contratado vai te fornecer alguns números para chamadas internacionais – em geral eles aceitam chamadas a cobrar. Tenha esse número à mão, tal como o número da sua apólice. Em caso de necessidade, ligue para a central e siga as instruções – caso seja uma emergência, procure uma solução na hora e depois peça o reembolso.
Seguro obrigatório
Os países europeus que assinam o Acordo de Schengen exigem que se comprove na entrada a contratação de um seguro de viagem com cobertura de pelo menos 30 mil euros. Como lá uma consulta custa no mínimo 300 euros, a exigência até faz sentido.
Cobertura
A cobertura contratada e a quantidade de dias da viagem fazem variar o preço do seguro. O mais importante, ao escolher a seguradora, é analisar se o seguro atende suas necessidades e se os valores de reembolso estão dentro da realidade do lugar a ser visitado. Pesquisar bastante é sempre a regra para garantir um bom seguro por um preço razoável.
Para contratar
O seguro pode ser contratado on-line no site da Luma Seguros: www.lumaseguros.com.br/viagem, o sistema esta' disponível 24 horas por dia, o pagamento pode ser feito por cartão de credito em ate' 6 vezes sem juros e o cliente recebe automaticamente em seu o e-mail o certificado. Basta imprimir e seguir viagem.

Rastreador Ituran com Seguro para Motos

O rastreador Ituran com seguro para motos está completando um ano de operação e foi ampliado, em meados de outubro deste ano, para modelos das marcas Honda eYamaha, fruto da parceria com a seguradora Cardif do Brasil. O rastreador com seguro para motos Ituran é um produto que surgiu da parceria com as seguradoras Mapfre e Cardif.  É um seguro que cobre a sua moto em casos de roubo e furto: se a moto não for localizada / recuperada, a seguradora Mapfre ou Cardif paga o valor de 100% da tabela Fipe para você.


Para saber mais acesse: www.iturancomseguro.com.br

27 de novembro de 2012

A importância de contratar um seguro-viagem



Na euforia de viajar, seja a passeio, a negócios ou para estudar, a última coisa que passa pela cabeça é a possibilidade de ficar doente ou de ter algum acidente.

Mas, infelizmente, imprevistos são comuns em viagens. Uma simples torção de tornozelo pode lhe custar centenas de dólares em uma clínica particular.

Além disso, é preciso levar em consideração possíveis desastres naturais, como os que aconteceram recentemente: e vulcão no Chile e enchente e tornado nos Estados Unidos.

Assim, antes de embarcar para qualquer viagem internacional, é fundamental que se contrate um seguro de viagem para garantir segurança e comodidade.

A Luma Seguros (www.lumaseguros.com.br/viagem), possui produto SegurViaje que auxilia na estadia do turista, proporcionando ainda mais conforto, bem como ajuda para lidar com essas situações inesperadas.

Antes e durante a viagem, a Luma oferece os planos de Seguro Viagem, que incluem assistência médica; odontológica; farmacêutica; remoção inter-hospitalar; adiantamento de fundos; e assistência jurídica.

Outros produtos incluem ainda a assistência em caso de perda e roubo de bagagem, ou mesmo perda de conexão por atraso de voo e serviços de concierge.

Acesse o site em: www.lumaseguros.com.br/viagem, faça a simulação, contrate online e receba em poucos minutos o certificado em seu e-mail.  Serviço disponível 24 horas por dia.

12 de novembro de 2012

Companhias exigirão ‘ficha limpa’ de cliente em seguro de carro


Fonte: IG Economia - Data:12/11/2012

Endividamento e processos judiciais, além dos hábitos de uso do veículo, passaram a ser considerados pelas seguradoras na hora de fazer da cotação e vender o produto

O esforço para tornar o seguro de carro um produto rentável tem feito as seguradoras irem mais fundo na análise de risco dos clientes e passarem a verificar, além do hábito do uso do carro e o perfil do cliente, itens como dívidas, inadimplência e processos judiciais.
“Um motorista de táxi com dívidas vai querer trabalhar 10 horas em vez de 8 horas no dia e está mais exposto a acidentes”, exemplifica o presidente da Porto Seguro, Fábio Luchetti. “Agora pense em uma pessoa endividada que estava deixando o carro em uma garagem e pagando por isso. Ele pode resolver deixar o carro na rua, afinal ele possui seguro, e estará mais exposto a roubos e furtos”, diz. No caso da seguradora, além de uma melhor avaliação de risco e de possibilidades de fraude, está sendo necessária a redução de despesas e investimento em tecnologia para trazer resultado operacional no segmento de automóveis.
Na Chubb Seguros, empresa mais voltada para a alta renda, por exemplo, a análise está levando em conta desde junho deste ano o risco moral dos clientes, como a inadimplência e também os processos judiciais. Esse procedimento já era adotado em outras linhas, mas agora passou a ser considerado em automóveis também. “Uma vez feito isso, é realizada uma precificação mais atrativa ao cliente, que já chegou a 20% de desconto no seguro de carro”, diz o presidente Acácio Queiroz. A seguradora faz cerca de 7 mil cotações por dia e, destas, aceita cerca de 200.
Outra novidade da seguradora, que deve ser lançada no próximo ano, é a possibilidade de cotar a apólice de acordo com o grau de uso do veículo. “Hoje um carro parado paga o mesmo seguro daquele que roda todo o dia. Isso é justo?”, questiona o executivo. Pare ele, chips e rastreadores podem analisar a frequência de uso do automóvel.
O esforço das seguradoras para ter lucro com a operação de automóveis passa também por reajuste de preços, o que as seguradoras não descartam para 2013. Neste ano, a alta incidência de roubos e furtos no primeiro trimestre — que subiu cerca de 30% frente ao mesmo período do ano passado —, além do aumento de custos das oficinas, fez com que a apólice ficasse mais cara.
Antes, as seguradoras conseguiam compensar isso com o resultado financeiro (aplicação de reservas para fazer frente aos sinistros), o que se torna cada vez mais difícil com a redução da taxa básica de juro.
Um fator que dificulta o cenário para as seguradoras é a extinção do custo da apólice a partir de janeiro, anunciado em outubro pela Superintendência de Seguros Privados. Desta forma, fica vetado o valor de R$ 60 separada do prêmio. O setor discute uma forma de lançar a cobrança sem grandes efeitos no balanço. No caso da Porto Seguro, a extinção gera uma baixa de R$ 110 milhões no balanço. “Estamos estudando cenários e algo vai ter de ser ajustado em preço”, afirma Luchetti.
>>> Quer um seguro barato e sem perfil para o seu carro?



29 de outubro de 2012

Novidades no seguro de Equipamentos Portáteis da Porto Seguro

O aumento nas vendas de equipamentos portáteis alavanca a procura por seguros específicos para esses tipos de aparelhos. As contratações do Porto Seguro Equipamentos Portáteis (produto da Porto Seguro) cresceram 54% até setembro deste ano, em comparação com igual período do ano passado.

Para melhor atender às necessidades de proteção dos usuários de notebooks, tablets, máquinas fotográficas, filmadoras e smartphones, com finalidade profissional ou não, o Porto Seguro Equipamentos Portáteis acaba de lançar benefícios exclusivos. As mudanças no seguro vão ao encontro das múltiplas possibilidades de uso dos equipamentos e riscos aos quais estão expostos.
“Cada vez mais, os equipamentos portáteis são utilizados como ferramentas de trabalho, lazer ou para facilitar o dia a dia. Além disso, geralmente estão em constante circulação e armazenam muitas informações importantes. Esse conjunto de necessidades motivou a readequação do produto, que privilegia ainda a questão da sustentabilidade no descarte dos itens”, explica Edson Frizzarim, diretor de Ramos Elementares da Porto Seguro.
Novidades
O Porto Seguro Equipamentos Portáteis, além de garantir os equipamentos em caso de roubo e danos, agora oferece cobertura para os dados contidos nos computadores e notebooks, em parceria com a empresa Salva Dados. Ao utilizar o “Armazenamento em Nuvens”, o cliente conta gratuitamente com serviço de backup para até 5 GB (gigabytes) de arquivos. Desta forma, com informações armazenadas via internet, é possível evitar a perda de fotos, vídeos, documentos e outros tipos de arquivos.
O seguro também oferece uma série de vantagens, como o desconto na aquisição de equipamentos novos da marca Itautec; serviço de retirada, coleta e destinação correta de equipamentos de telefonia e informática inutilizados, trabalho realizado pela empresa Descarte Certo; e ainda, sorteios mensais de títulos de capitalização, no valor bruto de R$ 2.500,00.
Mediante pagamento de prêmio adicional, o segurado pode solicitar o serviço de help desk, com assistência telefônica para a instalação de softwares originais ou solução de problemas nos equipamentos segurados.
Coberturas
A cobertura básica do Porto Seguro Equipamentos Portáteis garante Danos físicos ao bem, causados por incêndios, raios, explosões e impacto de veículos ou aeronaves. Por sua vez, as garantias adicionais incluem Subtração de bens (roubo), Danos elétricos, Acessórios utilizados com o equipamento - como HDs externos, drives ou lentes fotográficas - além da Garantia internacional (extensão das garantias contratadas para sinistros ocorridos fora do Brasil).[2]
Para contratar o seguro, é preciso informar as características do equipamento (marca, número de série e modelo) e dados da nota fiscal ou invoice (nota fiscal estrangeira). Acesse: www.lumaseguros.com.br/portateis


24 de outubro de 2012

Seguro contra roubo de iPad, notebook e outros portáteis

O índice de assaltos e furtos de equipamentos portáteis, os chamados gadjets, é cada vez maior nos grandes centros. Se você usa, para trabalho ou lazer, iPad, iPhone e outros smartphones, notebook, filmadora ou máquina fotográfica, saiba que já é possível contratar o seguro contra roubo ou furto para eles on-line e com toda a comodidade. Para isso basta que você possua a nota fiscal em seu nome.

Experimente fazer um orçamento em www.lumaseguros.com.br/portateis

O sistema é bastantes simples e em aguns minutos você estará com o seguro do seu equipamento contratado.

Se houver qualquer dúvida, acesse o chat on-line da Luma Seguros:  www.boogle.com.br/livezilla/livezilla.php



22 de outubro de 2012

Barra de ferramentas da Luma Seguros.

Baixe a barra de ferramentas de Luma Seguros. Você vai adorar.

O Melhor de Nossa Página
Receba todas as novidades diretamente no navegador,
Você fica por dentro de tudo enquanto usa a internet..
Check
Pesquisa poderosa
Busque na Rede, no nosso site e em outros mecanismos úteis.
Check
Mercado de Aplicativos
Escolha dentre centenas de aplicativos GRATUITOS para o seu navegador.
Check
Notificações no seu computador
Receba imediatamente nossas novidades e anúncios mais importantes.
Check
Links escolhidos a dedo
Verifique todos os nossos lugares favoritos na Rede.
Check

http://lumaseguros.ourtoolbar.com

4 de outubro de 2012

Montadoras receberão incentivo fiscal ao fabricar carros mais econômicos e seguros


Fonte:  Agência Brasil, Agência Brasil - Data: 04/10/2012

Brasília - As empresas do setor automotivo contarão com incentivo de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ao fabricar carros mais econômicos, mais seguros e ao investir na cadeia de fornecedores e em engenharia, tecnologia, pesquisa e desenvolvimento. Esse incentivo está previsto no Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto), lançado hoje (4) pelo governo.
O programa prevê benefícios tributários para as empresas que produzem veículos no país, as que somente comercializam e para as que quiserem vir investir no Brasil.
Para se habilitarem ao novo regime, as empresas terão que se comprometer com uma série de metas. Ao se habilitarem ao programa, as empresas conseguirão crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de até 30 pontos percentuais. Na verdade, as empresas que assumirem as metas vão escapar do aumento de IPI de 30 pontos percentuais, definido pelo governo no ano passado para as indústrias que não apresentarem índices mínimos de conteúdo local na produção.
O novo regime prevê ainda concessão de créditos presumidos adicionais de IPI para as empresas que superarem as metas em pesquisa e desenvolvimento, em engenharia, tecnologia industrial básica e capacitação de fornecedores.
Uma das principais metas do novo regime é a redução de 12,08% do consumo de gasolina e etanol até 2017. Caso a empresa ultrapasse essa meta, vai contar com o benefício de até dois pontos percentuais do IPI.
O novo regime automotivo prevê o investimento das montadoras em tecnologias mais modernas de produção, com motores mais eficientes, menos poluentes e com peças mais leves. O governo quer também estimular a fabricação de veículos mais seguros, equipados com controle de estabilidade para evitar capotamentos e com sistemas de prevenção de acidentes por meio de alerta de colisão iminente.
O Inovar-Auto também prevê incentivo para as empresas que não produzem, mas vendem os veículos no país. Para serem beneficiadas, essas montadoras terão que assumir o compromisso de importar veículos mais econômicos. A exigência de que realizem pesquisa e desenvolvimento, gastar com engenharia e tecnologia industrial básica de capacitação de fornecedores no Brasil.
As empresas serão obrigadas a aderir ao Programa de Etiquetagem Veicular do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A etiqueta classifica os veículos de acordo com a eficiência energética na comparação com modelos do mesmo segmento. Até 2017, todos os veículos produzidos no país deverão receber a etiqueta.


.

EMISSÃO DE LICENÇA DE PESCA AMADORA


Fonte: www.mpa.gov.br

  • A Licença para Pesca Amadora do MPA é válida por 1 (um) ano em todo território nacional e, uma vez licenciado, o pescador pode pescar em qualquer região do país, não havendo necessidade de pagamento da licença estadual. No entanto, as normas estaduais devem ser respeitadas quando forem mais restritivas do que a norma federal.
     
  • A licença definitiva só estará disponível depois de passados dez dias da data de pagamento do boleto bancário
     
  • O limite de cota de captura e de transporte de pescado por pescador é de 10 kg mais um exemplar para águas continentais e estuarinas e de 15 kg mais um exemplar para águas marinhas.
     
  • A licença de pesca amadora é individual, portanto o boleto, após impresso, somente poderá ser pago uma única vez.
     
  • A licença provisória apenas terá validade mediante a apresentação do comprovante de pagamento bancário.
     
  • Licença CATEGORIA A, DESEMBARCADA, e CATEGORIA B, EMBARCADA. 
     
  • A categoria pesca subaquática não existe mais, portanto, o pescador subaquático deverá optar pela modalidade embarcada ou desembarcada conforme utilize ou não, embarcação para suporte a pesca.
     
  • *A licença definitiva só estará disponível depois de passados trinta dias da data de pagamento do boleto bancário.
Informações: (61) 2023-3238

Clique do Banner para emitir seu certificado DPEM on-line


Brasil e EUA negociam acordos sobre vistos, mas fim da obrigatoriedade só será discutido no dia 22


Fonte: Renata Giraldi - Da Agência Brasil. em Brasília - Data: 04/10/2012
Diplomatas do Brasil e dos Estados Unidos estão reunidos nesta quinta-feira (4) para discutir uma série de ações comuns sobre Previdência Social, transferência de presos, sentenças criminais e assistência consular durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Nº DE VISTOS CONCEDIDOS
POR MÊS EM 2012

Janeiro86.290
Fevereiro95.078
Março115.269
Abril103.511
Maio79.527
Junho86.498
Julho81.737
Agosto86.734
  • Fonte: Embaixada norte-americana
Atualmente a comunidade brasileira nos Estados Unidos reúne mais de 1 milhão de pessoas.

No entanto, o eventual acordo sobre o fim da necessidade de vistos para os Estados Unidos será tema de uma reunião à parte apenas no próximo dia 22, em Washington (EUA).

Há seis meses, quando o presidente norte-americano, Barack Obama, e a presidenta Dilma Rousseff conversaram sobre o assunto, demonstraram interesse mútuo em acabar com o visto obrigatório.

No encontro, Dilma e Obama não definiram uma data para o fim dos vistos. Mas o norte-americano indicou que o governo vai facilitar as concessões de vistos para brasileiros.

Uma das medidas é uma ação para agilizar a passagem pela imigração de brasileiros que viajam frequentemente ao país a negócios, por exemplo, evitando as longas filas.

A agenda de temas consulares entre Brasil e Estados Unidos, porém, é muito mais ampla. Hoje, na 14ª reunião de Cooperação Consular e Jurídica Brasil-Estados Unidos, que ocorre no prédio do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília, estão em pauta questões jurídicas, referentes aos grandes eventos esportivos e a crises consulares.

A delegação brasileira é coordenada pelo subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, embaixador Sérgio França Danese, e a comitiva norte-americana, pela secretária de Estado Assistente para Assuntos Consulares do Departamento de Estado, a embaixadora Janice Jacobs.
Clique no banner para simular o valor e contratar on-line

18 de setembro de 2012

LANÇAMENTO! Ituran com Seguro Motos para Honda e Yamaha


Para você que ama sua Moto e não podia ter Seguro, agora já pode ficar aliviado.


A Ituran lançou o Ituran com Seguro para  Motos, que atende os principais modelos de motos das marcas HONDA e YAMAHA.

Agora você pode proteger a sua moto. E o melhor: Sem ter que pagar muito por isso.  O Rastreador Ituran com Seguro para Motos dispõe de uma tecnologia que não utiliza a bateria da moto, e conta com o seguro Mapfre / Cardif. Em caso de roubo e furto, se a sua moto não for localizada/recuperada, a seguradora (Mapfre/Cardif) paga o valor de 100% da tabela FIPE da sua moto.
Confira modelos e valores na página de Rastreador com Seguro para Motos.

13 de setembro de 2012

Ituran com Seguro para motos.

Novidade: O Ituran com seguro Mapfre (www.iturancomseguro.com.br) agora tem aceitacao para motos, veja na tabela abaixo as motos que tem aceitacao:

Obs: Os valores da tabela acima podem ser alterados sem aviso previo.

Para contratar basta preencher o formulario do link: www.formulario.iturancomseguro.com.br.
Maiore informacoes no site www.iturancomseguro.com.br




iPhone 5: novidades antecipadas pelos blogs

Fonte: Meio&Mensagem

Ao contrário do parafuso inventado pelo sueco, os “vazamentos” de componentes e partes inteiras do iPhone 5 não causaram constrangimento a nenhum blog ou site norte-americano especializado em tecnologia - e em Apple - e a empresa apresentou, finalmente, a sexta geração de seu smartphone com todas as “novidades” mostradas, diariamente, por especialistas em Apple. O CEO da Apple, Tim Cook, abriu a apresentação em San Francisco às 14:05 no horário brasileiro (10:05 em San Francisco), e discorreu sobre os números, ou seja, aquela massa de dados que realmente interessa aos investidores: no último trimestre, foram vendidos 17 milhões de iPads e, desde o lançamento, em janeiro de 2010, foram vendidos 84 milhões de aparelhos, o que significa, segundo Cook, que a Apple detém um share de 62% do mercado mundial de tablets. 

Se adicionar a essa conta o iPhone (lançado em 2007) e o iPod touch, equipados com o sistema operacional iOS, o CEO da Apple diz que já foram vendidos, em todo o mundo, mais de 400 milhões de aparelhos. A App Store, que centraliza a distribuição de aplicativos, tem cerca de 700 mil apps disponíveis, dos quais 250 mil já estão adaptados para iPad. As estimativas mais otimistas dos analistas norte-americanos preveem que, até o final deste mês, sejam vendidas cerca de 10 milhões de unidades do iPhone 5, no que seria a maior venda histórica de um produto eletrônico de consumo.

Mas, quem apresentou o esperado iPhone 5 foi o vice-presidente sênior de marketing de produto da Apple, Phil Schiller. Com tela de 4 polegadas (ante as telas anteriores de 3,5 polegadas), o iPhone 5 é mais leve em 28 gramas, passa a ser maior em altura em um centímetro (12,5 cm) e é mais fino em 0,17 cm. Feito em alumínio e vidro, continua a oferecer as cores branca e preta. As vendas começam a partir do dia 21 deste mês com os mesmo preços do iPhone 4S - US$ 199 o de 16 Gbytes, US$ 299, o de 32 Gbytes e US$ 399 o de 64 Gbytes. Neste dia, o aparelho começa a ser vendido nos EUA, Alemanha, Austrália, Canadá, França, Hong Kong, Japão, Reino Unido e Singapura. No dia 28, passa a ser vendido na Estônia, Nova Zelândia, República Tcheca e mais 19 países. O Brasil, como nas versões anteriores, não está entre esses países e deve receber o aparelho apenas em dezembro.

Inovações de hardware e software


O maior espaço de tela mostra uma mudança: ao invés de quatro fileiras de ícones dos modelos atuais, o iPhone 5 terá cinco fileiras de ícones. Uma das principais novidades é a conexão 4G (ou LTE - Long Term Evolution), cujas velocidades médias chegam a 100 Mbps (equivalentes às de conexões fixas por fibra óptica), ou seja, até dez vezes mais do que a 3G. No Brasil, entre as operadoras, apenas a Claro já oferece a 4G. No entanto, o consumidor brasileiro não terá acesso à 4G pelo iPhone 5. A Apple lançou o aparelho com duas frequências diferentes para 4G: o modelo A1 429 para as frequências AWS e 700 MHz, adotadas pelos EUA e Canadá, e o modelo A1 428,  para as frequências de 850 MHz, 1800 MHz e 2100 MHz, adotadas pela Alemanha, Reino Unido, Japão, Austrália, Coréia do Sul, Hong Kong e Cingapura. A frequência de 2,6 GHz, adotada pelo Brasil, não foi contemplada pela Apple. Ainda assim, o iPhone 5 é compatível com redes HSPA+ com dupla portadora (redes 3,5 G), cujas velocidades chegam a 42 Mbps. Para o consumidor brasileiro, será a alternativa à 4G.

Outra inovação, também antecipada por blogs e sites dos EUA, é o conector de dados, chamado de Lightning. Reversível, pode ser acoplado ao iPhone 5 em qualquer posição. Mas, o usuário que tem os modelos anteriores do iPhone terá que ter um adaptador para conectar os antigos ao iPhone 5.

A nova versão do sistema operacional, iOS 6, foi apresentada pelo vice-presidente de iOS, Scott Forstall. O iOS 6 será liberado daqui a uma semana, no dia 19, para usuários de iPhone (3GS, 4 e 4S), iPad (2 e o novo) e iPod touch de quarta geração. Juntamente com o novo iOS, chega uma nova versão do iTunes, inclusive com o Facebook integrado. Uma outra inovação de sistema operacional permite que a assistente de voz Siri publique diretamente no Facebook. Para confirmar outra antecipação dos curiosos sites e blogs que cobrem a Apple, a empresa lançou, também, novos fones de ouvido, os Earpods, que, segundo o vice-presidente mundial de produtos de marketing de iPod, iPhone e iOS da Apple, Greg Joswiak, levou três anos para ser desenvolvido.

>>> Para fazer seguro contra roubo do seu iPhone, Ipad, Notebook, Maquina fotografica, filmadora ou smartphone, acesse: www.lumaseguros.com.br/portateis

20 de agosto de 2012

Problemas em obras da construção civil: quem paga a conta?


Fonte: Jornale.com.br - Mirian Gasparin

O número crescente de acidentes, rachaduras, ameaças de desabamentos e crateras abertas em imóveis em construção ou já concluídos em Curitiba preocupa cada vez mais a população, que tem questionado de quem deve ser a responsabilidade e quem deve arcar com prejuízos nesses casos. Empresas e profissionais desse setor, naturalmente, também veem sua preocupação aumentar, pois a responsabilidade em eventuais acidentes muitas vezes recai sobre quem projetou e executou as obras.
 
rachadura.jpg
Para se proteger de eventuais erros ou falhas na execução de projetos e obras, essas empresas e profissionais precisam, cada vez mais, investir em ferramentas que os assegurem nas inúmeras variáveis que podem alterar os planos de sucesso em uma obra. É por isso que os projetos e obras devem sempre estar protegidos por apólices de seguro especializadas. “Quanto mais cresce esse mercado, mais aumenta a responsabilidade do construtor. Ele acaba se responsabilizando pela qualidade de produtos que vêm da indústria, pelas pessoas que ele contrata para executar a obra, pelos resultados da execução dos projetos e sua compatibilidade com as previsões iniciais e pelo atendimento de normas técnicas”, afirma o diretor da ValenteRocha Consultora e Corretora de Seguros, Adriano Valente Rocha.
O executivo lembra que os próprios consumidores, quando vão comprar um imóvel, devem ter esse tipo de preocupação, saber se a empresa responsável pela obra tem a garantia de um seguro para eventuais incidentes. “Às vezes o construtor ou o engenheiro responsável pela obra podem se esquivar, com aquele pensamento tradicional de que ‘nunca vai acontecer comigo’. Mas se os clientes e os vizinhos potencialmente expostos adotarem essa postura de cobrança de que tudo esteja segurado, todos terão mais conforto e segurança em momentos intranqüilos, como de um colapso total ou parcial da obra em execução”, comenta.
Se comparada com a indústria tradicional, que tem controles aprimorados, treinamento de pessoal, seleção de amostras, padronização de produtos e rastreabilidade de lotes, a indústria da construção civil não tem como ter precisão em todo esse acompanhamento. Isso indica que o resultado final – a entrega do bem imóvel – está diretamente ligado à diligência do responsável técnico por administrar a execução do empreendimento. Ou seja, é uma responsabilidade pelos resultados esperados pelo consumidor final.
Com essa maior responsabilização da empresa e do profissional construtor, o caminho para se proteger de eventuais problemas é o que se chama de “transferência de risco”: fazer uma avaliação do dano máximo provável, valorá-lo e contratar um seguro nesse montante. Com isso, a empresa ou o profissional têm como seu aliado financeiro uma empresa que conhece o risco e tem lastro para calçar eventuais prejuízos.
Na execução de projetos de engenharia, há inúmeros riscos envolvidos. A obra está exposta, tradicionalmente, aos eventos naturais e climáticos, que provocam danos ou atrasos nas obras, além de custos adicionais de limpeza e desentulho. Mas há riscos relativos a falhas humanas que são, por vezes, percebidas somente com o prejuízo deflagrado. Esse tipo de falha pode se dar por inexperiência ou inobservância de normas de projeto, compatibilização ou execução, ou decorrente de inúmeras regras e determinações legais. Independente da origem, para os serviços profissionais, a culpa é presumida. Em outras palavras, até que se prove o contrário, aquele que é responsável técnico pelo projeto, execução ou ambos é culpado e pode ser condenado a indenizar terceiros reclamantes.
Quando existe o sinistro - evento que causa o prejuízo - imediatamente pode-se perceber dois resultados possivelmente indenizáveis: primeiro, a reparação ou o restabelecimento do bem material danificado ao seu estado imediatamente anterior ao dano e, segundo, a reparação pela perda financeira apurada ou projetada decorrente da indisponibilidade do bem sinistrado. Cabe, ainda, mencionar um potencial terceiro resultado: danos corporais – que podem ser reparáveis ou irreparáveis, como um evento que cause morte de terceiros.

>>> Nao quer ter problemas com sua obra? Conheca o sistema O NOSSO GRUPO -  www.onossogrupo.com.br

16 de agosto de 2012

10 coisas de que os ladrões não gostam nos carros


Fonte: Revista Exame


Veja as características que podem fazer os ladrões desistirem de roubar um veículo.


São Paulo - Muito se fala sobre os carros mais visados pelos ladrões, mas pouco se comenta sobre seus desafetos, aqueles veículos que entre muitos outros estacionados serão as suas últimas opções. Obviamente, não é possível questionar os criminosos sobre os motivos que os fazem desistir de certo carro, mas especialistas em roubos e furtos de veículos conseguem delinear quais características costumam deixar o carro menos “roubável” ao estudar os históricos deste tipo de crime

Conforme explica Luiz Pomarole, membro da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) existem dois objetivos principais que motivam os roubos: “Um dos objetivos é a revenda dos carros; e o outro, muito mais comum, é a revenda de peças no mercado paralelo”. Observando quais são as peças e os modelos mais buscados por compradores, portanto, é possível identificar também o que o ladrão irá buscar para abastecer o mercado negro.
Segundo o Capitão Cleodato Moisés do Nascimento, porta-voz da Polícia Militar de São Paulo, ainda há outros dois pontos que explicam a lógica dos roubos: “O ladrão também procura os carros que serão mais dificilmente localizados pela polícia e os carros úteis para usar em outros crimes”.
Veja a seguir 10 características que os ladrões não gostam em um carro, ou que podem ser um critério de desempate na hora que eles decidem qual carro roubar.
1) Cores chamativas
Os carros com cores mais chamativas são evitados pelos ladrões por dois motivos: a maior facilidade de localização do veículo depois de roubado; e a menor procura no mercado paralelo, tanto por conta da maior dificuldade de revenda (por serem carros que não agradam a todos os gostos), quanto pelo fato de as peças coloridas serem menos buscadas para reposição.
“O criminoso evita cores mais chamativas. Já os carros com cores padrão, como branco, preto e prata, são os preferidos, porque se misturam na intensidade dos outros veículos em uma fuga e são mais buscados no mercado negro”, explica capitão Moisés.
2) Carros importados e de alto valor
São carros que normalmente chamam muita atenção, por isso, apesar do alto preço, são modelos desvalorizados pelos ladrões. “O ladrão tem medo de ser notado na rua com um carro desses porque é o tipo de carro que todo mundo olha. Além disso, estes carros costumam ter sistemas de segurança mais avançados, que dificultam o roubo”, esclarece Luiz Pomarole.
E ainda, como os carros importados e de alto valor são menos populares, há menos procura por este tipo de carro para revenda e também uma menor demanda por peças de reposição.
3) Carros menos populares
Os especialistas explicam que muitos roubos são resultados de encomendas. Sendo assim, qualquer tipo de veículo pode ser um alvo, desde que o mercado paralelo tenha um comprador interessado. Porém, os modelos menos comuns, apesar de não serem totalmente protegidos destas encomendas, acabam sendo menos roubados que os populares por estarem em menor quantidade.
“O carro menos popular tem menos risco de ser alvo porque o criminoso rouba e furta para vender no desmanche. Por isso, ele vai pegar o carro que tenha comércio mais rotativo. Não adianta pegar um carro que as pessoas não estão usando”, explica o capitão da PM.
4) Rodas básicas
“As rodas são o principal alvo dos roubos hoje em dia porque são vendidas muito facilmente. Como não existe uma identificação da roda com o veículo roubado, muita gente acaba comprando as rodas em qualquer lugar sem saber se elas são fruto de um roubo”, diz o porta-voz da PM.
Moisés explica que, como muitos roubos são motivados principalmente pelas rodas, os carros com rodas mais básicas acabam mais ignorados pelos ladrões do que os carros com rodas de liga leve, por exemplo. E ainda, se o objetivo for roubar um certo modelo de veículo e o ladrão encontrar dois carros do mesmo modelo, ele irá preferir aquele que tiver as rodas em melhores condições.
5) Picapes e SUVs movidos a gasolina
Boa parte dos modelos de picapes e SUVs são vendidos com duas opções de motores: movido a diesel ou a gasolina. Segundo Pomarole, os modelos movidos a gasolina são muito menos visados do que os movidos a diesel. “O motor diesel roda muito e, por isso, tem mais necessidade de reparos e a demanda por peças é mais alta. Por isso, nestas categorias, os carros movidos a gasolina são menos visados. A Pajero movida a gasolina, por exemplo, tem menor incidência de roubo”, afirma.
Ele também acrescenta que, como o motor a diesel costuma ser mais caro, ele também é muito buscado no mercado paralelo por compradores que buscam um preço mais acessível.
6) Carros sem acessórios externos
“Os carros com acessórios externos têm sido preferidos por ladrões, justamente por deixarem à mostra itens que são visados por eles”, afirma Pomarole. Ele diz que alguns dos acessórios externos mais visados são os estribos (peça que fica na lateral do carro e serve como suporte para subir em carros altos) e os estepes, peças que são muito roubadas por terem alta demanda no mercado paralelo.
Os estepes, por exemplo, podem estar localizados tanto dentro quanto fora do veículo. Se o objetivo for apenas furtar a peça, carros com estepe interno são menos buscados por dificultarem a ação. E ainda, se o ladrão estiver na dúvida entre dois carros parecidos, o item à mostra pode servir como critério de desempate. “Entre um Fiat sem estepe e um modelo Adventure, que vem com estepe externo, o ladrão vai preferir o Adventure”, afirma Pomarole.
7) Som de fábrica
Os rádios são um atrativo para os ladrões e muitas vezes são o objetivo principal do furto ou roubo. Segundo o porta-voz da PM, aparelhos de som de fábrica são menos vantajosos para os ladrões porque só servem para aquele modelo de carro. Em alguns casos, até param de funcionar quando desinstalados. “O criminoso já sabe que este tipo de rádio pode ser danificado se retirado do carro. E mesmo que não seja, eles também já sabem que os aparelhos de fábrica não têm tanto comércio quanto outros rádios que eles podem instalar em qualquer carro”, explica Moisés.
Ele também explica que os carros com rádios mais básicos são menos visados. “Hoje o criminoso está mais atento ao que é bom e o que não é. Quanto mais básico o aparelho, menos chamará a atenção. Aparelhos com DVD e GPS, por exemplo, têm sido bastante roubados”, diz o capitão.
8) Travas manuais
Moisés explica que, apesar de existirem sistemas mais avançados, as travas manuais podem inibir a ação do ladrão ao serem avistadas. “As travas de volante e as travas de câmbio acabam criando um grau de dificuldade para a ação do criminoso e ele pode deixar de agir ao ver a trava. Não vai evitar 100%, mas vai dificultar o roubo”, diz.
Pomarole concorda que se o ladrão olhar a trava pelo vidro do carro, ele pode desistir de roubar o veículo, mas ressalta que este sistema de segurança pode ser altamente falível. “A trava não evita o roubo (quando a vítima está presente), apenas pode evitar o furto (quando a vítima está ausente). E nem sempre o motorista ativa a trava, às vezes ele esquece, ou não aciona porque logo vai voltar para o carro”, diz. Ele acrescenta que sistemas como rastreadores e localizadores, por exemplo, são mais eficientes porque não dependem do acionamento manual e ajudam o motorista a encontrar o veículo depois que o roubo foi consumado.
9) Insulfilm
Em um roubo, o uso do insulfilm pode evitar a aproximação do ladrão, uma vez que a película o impede de ver com clareza quem está dentro do carro. E no caso do furto pode dificultar a visualização de objetos deixados no interior do veículo que chamariam sua atenção.
No entanto, o item pode ser um tanto controverso: “Em um roubo, o ladrão pode preferir um carro sem insulfilm porque sabe quem está dentro do carro. Mas, ao mesmo tempo, em um furto, o ladrão pode preferir carros com insulfilm porque, ao fugir com o carro, ele ficará menos visível”, explica Pomarole. O insulfilm também não será eficaz no caso de um roubo programado, em que o ladrão já sabe quem é a sua vítima e, portanto, quem está dentro do carro.
10) Carros básicos
Os carros básicos naturalmente têm menos valor de revenda do que os mais equipados. Além disso, ao serem desmontados, terão peças mais baratas e menos acessórios do que os carros mais sofisticados. “Um painel atrativo, por exemplo, hoje em dia chama muito a atenção do ladrão quando o carro está estacionado em via pública”, explica o capitão Cleodato Moisés.
Os carros mais equipados muitas vezes também são roubados para que suas peças deixem os carros mais básicos da mesma linha mais equipados. É o que acontece, por exemplo, com modelos como o Renault Sandero, que está na lista dos 10 carros mais roubados em julho. É um carro que tem muitas versões, então alguns motoristas compram o modelo mais básico e depois buscam acessórios e outras peças para deixá-lo mais equipado.



9 de agosto de 2012

Apólice de seguro do Mercosul (Carta Verde) não se aplica à Bolívia

Fonte: Redação 24 Horas News

A obrigatoriedade do porte do Certificado de Apólice Única do Seguro de Responsabilidade Civil - conhecido como “Carta Verde” - cobrado aos veículos dos países-membros do Mercosul, não se aplica aos veículos da Bolívia.
 
O secretário-chefe da Casa Civil, José Lacerda, em julho passado, solicitou ao Ministério das Relações Exteriores, Divisão da América Meridional, um Parecer Oficial, confirmando a condição da Bolívia como país associado do Mercado Comum do Sul (Mercosul) , o que isenta os veículos bolivianos, da cobrança desse imposto.
 
A Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de nº 238, de 25 de maio de 2007, estipula a obrigatoriedade de cobrança da “Carta Verde”, em viagem internacional, somente aos veículos estrangeiros registrados no Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, considerados países-membros do Mercosul. 
 
“Essa cobrança teve como base a Resolução Mercosul/GM/RES nº 120/1994, instituído pela assinatura do Tratado de Assunção, em 1991, estipulando a União Aduaneira entre os países-membros Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai", explica o secretário e complementa : “Não há amparo legal para exigir dos condutores de veículos bolivianos, em circulação no território brasileiro, a apresentação da ‘Carta Verde’.” Atualmente, além dos Estados Parte, participam como Estados Associados ao Mercosul a Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e a Venezuela.
 

Por meio de Ofício nº 1369/2011/GGIT/Denatran, a Coordenação-Geral de Infraestrutura argumentou que a resolução do Contran pretendeu apenas internalizar a norma do Mercosul, sem a intenção de criar a exigência desse seguro para todos os veículos estrangeiros em circulação no país.
 
Essa isenção aos países associados foi entendida, também, pela Coordenação-Geral Jurídica e de Fiscalização do Denatran, considerando a aplicação da “Carta Verde” exclusivamente aos integrantes do Mercosul, com bases no artigo 1º do Tratado de Assunção, o qual regulamenta as relações existentes entre os chamados Estados Partes, ou integrantes do Mercosul. A intensa integração social e econômica entre as cidades de San Mathias (Bolívia) distante a 80 km da cidade de Cáceres (MT) e a interação transfronteiriça, interligam as duas cidades pela rodovia asfaltada.
 
“Há um fluxo constante entre as duas cidades, principalmente dos bolivianos fronteiriços que dependem do comércio e de serviços mato-grossenses”, finaliza o secretário José Lacerda.
 
O documento solicitado ao Ministério das Relações Exteriores será encaminhado aos órgãos competentes, como a Polícia Rodoviária Federal, para providências do processo de interrupção da cobrança à Bolívia da Apólice de Seguro (Carta Verde).

>>> Para contratar on-line sua Carta Verde acesse: www.lumaseguros.com.br/cartaverde.asp



Seguro para smartphone, saiba como funciona e quanto custa


 Fonte: Infomoney- Data: 08.08.2012



A facilidade em usar o mesmo aparelho para fazer ligações, acessar e-mail, redes sociais e bancos, tem feito com que os smartphones estejam cada vez mais presentes na vida do brasileiro.

Mas com tantas facilidades, ter o aparelho roubado pode ser uma verdadeira dor de cabeça para o usuário. 


Cobertura completa

É possível contratar um seguro que cobre roubo e danos elétricos. No caso de roubo, não há cobertura se o aparelho for subtraído de dentro do carro, por exemplo.

O seguro para equipamentos portáteis da Porto Seguro também cobrem situações em que o aparelho sofreu danos causados por impacto de veículos, incêndios, explosões ou vendavais.

Neste caso, o valor do seguro varia de acordo com o tipo de cobertura e também da data em que o aparelho foi comprado.

Veja três simulações considerando a compra do produto nesta semana:

1. Aparelho avaliado em R$ 399: na cobertura de subtração de bem e danos ao aparelho, o seguro custa R$ 80,55 ou três parcelas de R$ 26,85. O mesmo valor permanece se na apólice for acrescentada cobertura contra danos elétricos.

2. Aparelho avaliado em R$ 1999: na cobertura de subtração de bem e danos ao aparelho, o seguro custa R$ 268,30 ou quatro parcelas de R$ 67,08. Já acrescentando a cobertura contra danos elétricos, o seguro sai por R$ 295,13 ou quatro parcelas de R$ 73,78.

3. Aparelho avaliado em R$ 2599: na cobertura de subtração de bem e danos ao aparelho, o seguro custa R$ 343,50 ou quatro parcelas de R$ 85,87. Já acrescentando a cobertura contra danos elétricos, o seguro sai por R$ 371,41 ou quatro parcelas de R$ 92,85.

É possível acrescentar na apólice deste tipo de seguro a cobertura internacional, na qual as garantias contratadas pelo cliente são estendidas para assegurar eventuais sinistros sofridos pelos equipamentos em países do exterior.

Para simulação ou contratar o seguro, todo o processo é on-line. Acesse o site: www.lumaseguros.com.br/portateis

Obs.: O seguro é válido para smatphones e iPhone,. iPad e outros tablets, notebook e netbook, máquinas fotograficas e filamadoras de uso amador ou profissional.